Introdução custosa, tosca, mal feita. Se me perguntarem, direi que não foi eu quem fez. Nunca, em toda a minha vida, experimentei tamanha metalinguagem sentimental. Escrever sobre a decepção tem se mostrado tão decepcionante quanto vivenciá-la por um outro motivo qualquer. A vida tem essa mania antipática de fazer piadinhas sem graça.

Às vezes me pergunto se são mesmo anedotas ou se o universo nos sacaneia de propósito. Prefiro acreditar que não, mas é tentador. Tentador porque alguns dias são piores que outros, são mais ásperos e nebulosos. Há dias em que um suposto amigo te julga de forma incrivelmente falsa. Há dias em que perdemos a confiança em pessoas que pareciam nos entender. Há dias em que a gente insiste no erro, mesmo que, desde o princípio, fosse um erro.

Decepção é aquele ardor incômodo na parte de trás da nuca. É aquela vontade insana de voltar no tempo e recuperar as noites de sono mal dormido. Decepção é o calafrio causado por um encontro desagradável. É a necessiadade urgente de repensar o que fizemos e o que poderíamos ter feito.

Ficar encharcado por ter esquecido o guarda-chuva. Chorar por não ter estudado pra prova. Se contorcer na cama por ter iniciado uma longa e desnecessária DR. É curioso como a gravidade dos fatos parece destilar os sentimentos. A decepção fraca é efêmera, se alia à raiva e a uma culpabilidade incerta. A decepção moderada ainda faz conluio com a ira. A decepção real é consideravelmente mais duradoura e solitária, é aquela sentimos sobre nós mesmos, é a que nos transforma.

Respire fundo e continue lendo este texto, porque por mais que ambos – eu e você – estejamos decepcionados, alguma coisa a gente aprende. Até aqui eu já entendi que não tem jeito, vamos nos depecionar sim ou com certeza. A decepção é só a lembrança incoveniente de que somos imperfeitos e sujeitos ao erro. A decepção é parte essencial das escolhas mal feitas.

Já pensou como seria se não doesse? Se não enchesse o saco? Tenho certeza que erraríamos mais. Muito mais. É por isso que nos sentirmos decepcionados nem sempre é ruim, mesmo que queiramos esconder. A gente finge que acertou em todas as decisões, mas todo mundo sabe que é besteira.

Nessa vida, o importe é sentirmos cada um dos momentos. A decepção virá, mas o perdão tem que chegar logo em seguida. Se ele não vier, convide com uma ênfase um pouquinho maior. Eu já me desculpei por este texto, espero que você se perdoe por ter lido também.