Gosto de como a gente se bagunça e mais ainda de como a gente se conserta.

Gosto da nossa intimidade, de falarmos tudo sem reservas e de como ficamos à vontade e confortáveis juntos desde o começo, como se tivesse sido sempre assim.

Gosto do nosso encaixe ser certinho em todas as coisas, da nossa familiaridade e de como tudo contigo é bom.

Gosto de termos mil interesses em comum e gosto mais ainda de saber que há coisas do outro pelas quais nunca vamos ter o menor interesse.

Gosto de você ter sido a primeira pessoa que me fez ver anime e, mais do que isso, gostar.

Gosto das conversas sobre tudo, de pular pra todo tipo de assunto inusitado do nada e de você não se conformar com minhas maiúsculas.

Gosto de como você banca todas as suas opiniões, de como suas opiniões são tão únicas e de como você sabe lidar, gostar e mostrar quem você é.

Gosto dos passos de dança, das decisões duplamente tomadas sóbrios e entorpecidos e de não conseguirmos escolher a nossa música.

Gosto de sermos estrábicos, de como sou mais míope que você e de como seu sotaque é mais carregado que o meu.

Gosto da nossa fome repentina de madrugada, do seu jeito metódico de ser bagunceiro, de como você fala “Sacou?” e da sua sensibilidade.

Gosto tanto da sua sensibilidade que essa estrofe é só dela.

Gosto dos detalhes que você coloca na sua arte, os mesmos que, em traços e cores que contam histórias, marcam uma personalidade de quem entende as nuances da existência.

Gosto das suas mãos e de como produzem arte e arrepios com a mesma mestria.

Gosto dos nossos toques se completarem e do nosso jeito quase intuitivo de adivinhar os botões um do outro.

Gosto da nossa identidade acontecer pelos nossos contextos, gostos, opiniões, funcionamento e até na nossa pele.

Gosto da paz meio paradoxal que você me dá com suas regras, seus dentes perfeitos e as frases sem sentido durante o sono.

Gosto de gostarmos do “cata” como prefixo, mas você preferir “cataclisma” e eu, “catástrofe”, uma boa alegoria de como nosso signo nos fez iguais, mas ainda somos bem diferentes.

Gosto da calma e da pressa, da leseira e do suor, dos silêncios e das bobagens. Gosto porque tudo isso faz de você meu lugar preferido no mundo. Gosto porque é simples e óbvia consequência de sermos nós dois.